CANCIONEIROS DO INFINITO

No início do século passado, quando a música popular era proibida nas classes mais altas da sociedade, eles empunharam a bandeira da arte popular e adentraram os saraus, alcançaram a corte  e mostraram que a música não tem classe, não tem cor, não tem distinção. Ela é a voz da alma que se manifesta através dos poucos que conseguem exteriorizá-la.

     Ao partirem desta vida, se imortalizaram através do acervo deixado, que continua sendo regravado  por  intérpretes atuais.

     Agora estes amigos músicos retornam da dimensão em que se encontram, demonstrando que a morte é uma mentira.

     Minha mente os escuta, minha alma os sente e minhas mãos executam as músicas nos teclados ou nas cordas do violão conforme vem chegando.

     Eu os posso captar e sentir-lhes a preocupação com a perpetuação da melodia harmônica e elevada.

     Como ninguém eles sabem do poder de atuação da música nas consciências.

     Por isso se entregam a este trabalho de amor, para através da harmonia musical, despertar o homem sonolento neste princípio de milênio.

     Chefiados pela inteligência que animou o Maestro Carlos Gomes perfilam suas belas e inovadoras composições, iluminados pelas bênçãos de luzes maiores.

     Assim prosseguem os cancioneiros do Infinito

     Nada os detém, acostumados às lutas acerbas que enfrentaram para derramar acordes imortais que até hoje nos alcançam não há dificuldade que não enfrentem, embasados na fé evolutiva do porvir.

     Dando continuidade ao mesmo compromisso que já possuíam quando no corpo de carne, projetam em minha mente, a melodia e letra, juntas em poucos minutos. Elas surgem em meu cérebro e vou passando para um gravador, ou para algum instrumento musical, que tenha à mão,  teclado ou violão.

     De pauta, só aprendi rudimentos quando cursava o antigo ginásio. Fiz também um cursinho básico de violão que durou apenas três meses.

     Guiada por Deus estimulada, por eles, solto minha voz e entrego o recado, na certeza que aliança Divina nunca me faltará, no dizer de Ari Barroso em uma das melodias que captei.

     Existem muitos cancioneiros que não se identificaram e trinta e seis de nomes conhecidos.

Quem são os Cancioneiros

 

Adoniran Barbosa

Glenn Miller
Altemar Dutra Gonzaguinha
Antônio Maria Herivelto Martins
Ary Barroso Jacob do Bandolim
Assis Valente João Cabete
Ataulfo Alves Lamartine Babo
Carlos Gardel Luíz Gonzaga
Carlos Gomes Lupicínio Rodrigues

Cartola

Maysa
Catulo da Paixão Cearense Noel Rosa
Charles Chaplin Orestes Barbosa
Chiquinha Gonzaga Padre Amaro
Cigano Pixinguinha
Cornélio Pires Sérgio Bittencourt
Dolores Duran Severa
Ernesto Nazareth Vinícius de Moraes
Eurícledes Formiga Walt Disney
Francisco Alves Paulo Soledade
Francisco Canaro Elis Regina
Leandro Raul Seixas
Juscelino Kubstchek Zequinha de Abreu
Maria Rita Irmã Dulce
Ayrton Senna Clara Nunes
Agostinho dos Santos Tinoco
Arrelia Francisco de Assis
Padre Antonio Vieira João Nunes Maia
Zamenhof Patativa de Assaré
José Soares Cardoso Tulio Piva

 

Músicas inspiradas por Cancioneiros que ainda não se  identificaram   

 

ATENÇÃO

AGUARDE UM POUCO PARA AS MÚSICAS CARREGAREM, ALGUMAS PODEM DEMORAR UM POUCO

Créditos:

 

Midi: "Ave Maria Rosa"

Arranjo e interpretação: Sibélius

 

Livro De Visitas

Clique na clave de Sol

       

    

 

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.