Meu Corpo

Marisa Cajado

Guarujá, 12/10/01 3:58

 

 

Meu corpo é um santuário
único, e servil relicário
que enternecida contemplo.
Instrumento presenteado
pelo Criador amado,
do grande e eterno templo.

Meu corpo, é vaso Divino,
cálice de amor cristalino,
sorvendo a água da fonte.
Concha, a germinar no ventre
mais um ser resplandecente,
para galgar o horizonte.

Meus seios, são duas flores
a alimentar amores,
jorrando o sangue branco.
Em sua flora, faz lume,
ao murchar deixa o perfume.
laborado em seu encanto.

No campo em que se abre a flor,
fonte eterna de calor.
onde a energia se aquece
Se encaixa o talo esperado
Do par amigo e amado
ato de amor em prece..

Então a seiva trocada
será luz , em nossa estrada
do caminho vertical.
Para seguir de mão dada,
Ante a vereda estrelada.

Do sem fim universal.

Direitos autorais reservados ao autor: para publicar, solicite autorização via e-mail.

 

 

Clique no envelope envie esta página para até 10 amigos:

 

 

 

Fundo Musical: "Carinhoso"

Arranjo Sibélius

 

 

Imagem - Tela original de Marisa Cajado

Script: Miles

Livro de Visitas

Clique na clave de sol

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens, dos arquivos de som, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.