Luiz Gonzaga

1912 -1989

 

 

       

 

 

    

Nasceu numa fazenda em Exu/PE e faleceu em Recife/PE.

     Aprendeu a tocar sanfona com seu pai, que tocava em bailes e consertava sanfonas. Trabalhou na roça, tocou em bailes, forrós e feiras. Já era relativamente conhecido como sanfoneiro, quando, em 1930, fugiu de casa e foi para Fortaleza/CE onde ingressou no Exército.      Em 1939 foi para o Rio de Janeiro, onde deu baixa do Exército e ali ficou, apresentando-se em bares cariocas do Mangue, cabarés da Lapa, festinhas e até nas ruas, tocando vários estilos musicais. Em 1941 foi convidado a gravar como solista.

     Em 1943 conheceu o sanfoneiro Pedro Raimundo, que se vestia com trajes tipicamente gaúchos, o que o inspirou a vestir-se como vaqueiro nordestino. Neste mesmo ano conheceu seu primeiro parceiro, Miguel Lima, que colocou letra em Vira e mexe, rebatizando-a "Chamego".

     Grava, em 1945, pela primeira vez como cantor, lançando "Dança, Mariquinha" e "Dezessete e setecentos" - que foi grande sucesso na voz de Manezinho Araújo, ambas em parceria com Miguel Lima. Neste mesmo ano, o "Lua" - como ficou conhecido, torna-se parceiro do cearense Humberto Teixeira, com quem estabeleceu o ritmo, o estilo e a temática de uma nova categoria musical: o baião. São dessa época, os sucessos "Baião", "Asa Branca", "Juazeiro" e "No meu pé de serra".

     Teve parceiros diversos, como Hervé Cordovil, Zé Dantas, João Silva.

    Com a ascensão da Bossa Nova, em 1954, o "Rei do Baião" - como ficara conhecido, cai um pouco no esquecimento nos grandes centros urbanos, preferindo apresentar-se em cidades do interior.

     Na década de 80 sua carreira toma novo impulso, graças a Gilberto Gil, Caetano Veloso, e à parceria feita com seu filho Gonzaguinha. Retomado o sucesso de sua carreira, ele agora é conhecido como "Gonzagão", tendo, inclusive, se apresentado em Paris.

     Participou de inúmeras iniciativas em prol dos flagelados pela seca no Nordeste, muitas vezes por conta própria e em meados de 1980 criou a Fundação Vovô Januário, destinada a ajudar as mulheres de Exu/PE.  

 

 

 

Composições inéditas

inspiradas por Luíz Gonzaga a Marisa Cajado:

 

Dia e noite

Nesta toada

Rio luz

Poeta caminheiro

Prece do sertanejo

Rumo novo

Sou feliz

* As músicas em bege ainda não estão prontas. Conforme forem sendo

formatadas, serão colocadas no ar, à disposição dos leitores e visitantes do site.

Créditos:

 

Midi:

"Asa Branca "

Arranjo e execução: Sibélius

Imagem: Tela Marisa cajado

 

 

Livro de Visitas

Clique na clave de sol

    

 

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens, das músicas e arquivos de som, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.