ESPERANÇA  PROFISSÃO NA NOVA DIMENSÃO

ESPERANÇA

Um dia eu disse

Que fizeram de mim

Um cara triste

Solitário e barrigudo

Pura tolice o  meu pensar assim

Por rebeldia

A mim mesmo impus tudo

O egoísmo resultou em solidão

Na indiferença em

Vazio e ingratidão

Onde a descrença

Povoou meu coração

Na ignorância da lei de evolução

Mas hoje eu sei

Que não tenho o que não dei

Que eu colhi só aquilo que plantei

E que por certo 

Novamente eu voltarei

Pra acertar o que desconcertei.

Agora canto esperança  esperança

De um tempo novo

Com paz amor bonança

Num futuro que

Agora aqui eu  traço

Cheio de força

 Alegria e sem cansaço.

Antonio Maria  por Marisa Cajado

 

Imagem: Tela Marisa Cajado

Livro de Visitas

Clique na clave de sol

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens,

dos arquivos de som, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.