MEU MORRO

Não tem mais ave Maria
Agora é silêncio e jaça
Droga rola à revelia
Em vez de água é cachaça

Onde é que está o meu povo
Que mesmo chorando ria
Eu quero rever de novo
Meu morro em alegria
 
Alvorada irradiante
No cantar da passarada
Estrela Dalva presente
Ah! O morro,onde eu sonhava

A descrença tomou conta
Do cantar se fez desgraça
A droga agora é que conta
A luta é pela trapaça

Ah! Morro dos meus amores
Que era prece ao fim do dia
Eu vou rogar a Maria
Pra abençoar os sofredores


Herivelto Martins
Guarujá, 10/11/93  15:00 h

Arranjo e voz: Marisa cajado

Imagem: Tela Marisa Cajado

Siga a flecha para mudar de página.

Livro de Visitas

Clique na clave de sol