Era o autor de Caminito,  que voltava a compor para seus fãs. Também Francisco Canaro enviou-me um tango, na Argentina.  Desta forma o  acervo dos Cancioneiros do Infinito enriquecia-se.

 Busquei informar-me sobre aquele fenômeno que surgia independente de minha vontade.

Após algumas buscas e aprendizado, encontrei a resposta.                                      

A transmissão da  mente espiritual  dá-se através de revelações e não de deduções, é uma linguagem universal que traduzimos conforme a necessidade ou o  meio onde estamos.

O método ficou claro, as formas pensamento chegavam e eu as captava com o meu intelecto.

"O pensamento é o laço que nos une aos Espíritos, e pelo pensamento nós atraímos os que simpatizam com as nossas idéias e inclinações". Allan Kardec.

 Entretanto, usualmente só se chamam de médiuns “aqueles em quem a faculdade mediúnica se mostra bem caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade, o que então depende de uma organização mais ou menos sensitiva”. (Allan Kardec, O Livro dos Médiuns, capítulo IX)

Assim aconteceu quando o compositor Carlos Gardel, enviou-me “ Um tango diferente”

Mais tarde, em Buenos Aires captei dele “Mi Buenos Aires vuelvo a Ti” em Castelhano , embora não soubesse nada desta língua.

A doutrina espírita nos oferece vasto material para entendermos esta faculdade que é inerente ao ser humano.

O Livro dos Médiuns de Allan Kardec responde:

É uma faculdade natural de toda criatura viva. Podemos dizer que é um canal psíquico que todos possuem e que liga o Espírito encarnado ao mundo invisível. É, portanto, através da mediunidade que os encarnados recebem a influência dos desencarnados, funcionando como uma ponte entre os dois planos. Allan Kardec

“Mediunidade espírita, porém, é a que faculta o intercâmbio consciente, responsável, entre o mundo físico e o espiritual, facultando a sublimação das provas pela superação da dor e pela renúncia às paixões, ao mesmo tempo abrindo à criatura os horizontes luminosos para a libertação total, mediante o serviço aos companheiros do caminho humano, gerando amor com os instrumentos da caridade redentora de que ninguém pode prescindir”. Joanna de Ângelis (espírito), livro Oferenda – pág. 130/131 -, psicografado por Divaldo Franco

"Todas as nossas faculdades são favores que devemos agradecer a Deus, pois há criaturas que não as possuem. Podias perguntar porque Deus concede boa visão a malfeitores, destreza aos larápios, eloquência aos que só a utilizam para o mal. Acontece o mesmo com a mediunidade. Criaturas indignas a possuem porque dela necessitam mais do que as outras, para se melhorarem" - (Livro dos Médiuns - Questão 226)

BIOGRAFIA DE CARLOS GARDEL

Compositor e cantor argentino de origem francesa. O maior expoente e divulgador do tango.

Há diversas versões sobre sua vida, porém, a  mais aceita é de que nasceu em Tolouse, na França.

Sua mãe, uma lavadeira, teria imigrado para a Argentina em 1890, segundo essa versão. Gardel escondia sua origem para evitar convocação pelo exército Francês para a 1ª Guerra mundial (1914-1918).

Teria conseguido naturalizar-se argentino em 1927, usando certidão falsa que atestava ter nascido  em  Tacuarembo, Uruguai.

Gravou mais de 900 canções entre tangos e músicas folclóricas argentinas. Destacam-se entre suas interpretações mais famosas: "El dia que me quieras", "Mano a mano" e "Mi Buenos Aires querido". Foi também ator de cinema, tendo participado de mais de dez filmes, entre eles "Melodias de Arrabal" (1932) e "El dia em que me quieras" (1935). Foi uma das figuras mais populares do inicio das gravações fonográficas.

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Gardel)

 

Siga a flecha para mudar de página

 

Imagem: Tela Marisa Cajado

Livro de Visitas

Clique na clave de sol

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens,

dos arquivos de som, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.