Os Cancioneiros continuavam comunicando-se e a cada dia o trabalho ia se delineando com  maior força, indicando novos objetivos.
    Após uma  entrevista na revista internacional do espiritismo, as palestras começaram a aumentar.

Muitos tem sido os testemunhos, da atuação da música dos Cancioneiros, seja cantada ou orquestrada e a energia que ela deixa em cada ambiente.

Então, comecei a viajar e levar os cancioneiros para diversos estados brasileiros.Onde ia ministrava palestra, seminários, o que até hoje faço.

No inicio, não divulgava seus nomes, até que em Recife , Mario Jorge Fisher de Carvalho, grande  trabalhador  da seara espírita disse-me :

_ Mas Marisa, você tem que divulgar os nomes dos compositores.

_ Pensei melhor sobre aquele alerta que chegava através de um amigo.

Elaboramos juntos, a primeira palestra com o nome deles. Foi um sucesso. Apresentei-a  fui aplaudida de pé.

Logo a seguir apresentei-a na Federação Espírita de Maceió. Era um público de aproximadamente 500 pessoas. Foi a segunda vez, que falei sobre os Cancioneiros ao público.Estavam todos presentes comigo, no palco daquela instituição.

A energia era imensa e novamente fui aplaudida de pé.

Senti então que este seria o caminho certo para a divulgação do trabalho. Este fato veio aumentar a minha responsabilidade

Recordo que uma manhã estava exausta. Havia viajado de ônibus toda a  noite  e ao chegar a São Paulo,  fraquejei ante o peso enorme, mala, CDs, livros, meditando na viagem que ainda deveria fazer para chegar em casa.   Senti-me só e triste. Foi quando um intenso perfume banhou-me a roupa e ficou nela impregnado por vários dias. Envergonhei-me deste sentimento e vi que não caminhava sozinha. Uma paz imensa, encheu-me de energia e prossegui  renovada.

Outros compositores viriam enriquecer o acervo com lindas melodias.

Era vez de um estrangeiro.  Primeiro, entre os que me ditaram suas composições, Carlos Gardel.

  Questionei ante aquela música que chegava em ritmo de tango . Creio que veio para atender um pedido de minha mãe que sempre dizia: “Quando é que você vai receber um tango? “, ritmo que ala adorava dançar com meu pai.

Uma certa manhã ele chegou.

Como as outras, cantou em minha mente junto à letra e eu a captei em português.

Siga a flecha para mudar de página

 

Imagem: Tela Marisa Cajado

Livro de Visitas

Clique na clave de sol

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens,

dos arquivos de som, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.