Em 1988 enviou-nos esta que muito nos emocionou e sempre emociona quando a toco nas palestras.

Sabemos que ele compôs “ Naquela Mesa por ocasião do falecimento de seu pai, Jacob do Bandolim. Alguns meses depois foi encontrar-se com ele. E agora nos diz assim

EM OUTRA MESA

 

Eu já matei

Esta saudade imensa

Da minha existência

Talvez a maior

E agora juntos

Enlaçados vamos

Seguir em busca

De um mundo melhor

Em outra mesa

Ainda nos sentamos

Dividindo planos

E trocando amor

E descobrimos

Que ao fechar da campa

Carinho que se planta

Fica bem maior

É outra mesa

Mas aqui a estrada

É continuação

Da nossa caminhada

Ainda é o mesmo

O seu bandolim

Que quer cantar comigo

O seu amor sem fim.

Sérgio Bittencourt - Guarujá , 17/10/88 Arranjo e voz : Suzana Samorano

 

Siga a flecha para mudar de página

 

Imagem: Tela Marisa Cajado

 

Livro de Visitas

Clique na clave de sol

 

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens,

dos arquivos de som, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.