Elis Regina

1982

 

 

 

ELIS REGINA

Elis Regina foi a parceira inigualável, dos grandes compositores. Segundo Belchior numa entrevista do jornal “A Tribuna de Santos” dez/2005: “Ela foi essencial, e é insubstituível na MPB como cantora e como alguém que tinha um faro especial para o sucesso.
Elis saiu de cena muito cedo deixando saudades nos corações de seus fàs. Agora retorna dando continuidade a seu trabalho que tanto ama..
Em 19 de janeiro de 1982. Elis amanheceu morta em seu apartamento.
Elis tinha 36 anos e a reputação de uma das maiores cantoras da música popular brasileira.os paulistanos, que a haviam pouco prestigiado em seu último show, arrependeram-se e reverenciaram sua memória de forma superlativa. As estimativas variam, é possível que 30.000 pessoas a tenham velado num teatro da avenida Brigadeiro Luís Antonio e que outros 50.000 a tenham aplaudido durante o cortejo que a levou ao cemitério do Morumbi, o mesmo no qual Ayrton Senna da Silva foi enterrado.

Em agosto de 2005, às 23:00h, trabalhava no livro e tive que ir ao mercado .Ao entrar no ambiente agradável do Pão de Açúcar, tocava uma música de Elis. Cansada que estava, aquela melodia harmonizou-me. Agradeci a ela a bênção, daquele trabalho que havia nos deixado e que ainda frutificava.
Foi quando a senti novamente e disse-me: Marisa, o trabalho vai continuar.
Elis, refeita, que era adorada por milhares de fãs, que interpretou como ninguém, grandes nomes da música popular brasileira, muitos deles, hoje cancioneiros do Infinito, participa agora do Grupo dos Cancioneiros, na mesma parceria e no mesmo tom musical
Dia 09 de setembro, às duas horas da manhã, preparava-me para dormir. Fui deitar apreensiva. Por minha mente desfilavam as dificuldades do dia a dia. Agradecida, meditava na bênção do meu trabalho com os cancioneiros, e a poesia. A grande energia recebida com cada poema ou música. No dia anterior havia captado uma linda mensagem de Francisco de Assis. Sempre senti, neste trabalho, uma âncora segura na Terra. Ao apagar a luz, acomodando-me na cama vi o rosto de Elis Regina.
_ Elis, exclamei, enquanto surpresa ouvia o barulho do interruptor da luz acender e apagar-se novamente.
_ Você vencerá, ela disse. Em seguida passou-me o samba: Brasil Cantando

Ao compor esta página lembrei-me de que Elis não era compositora. Ela surgiu na mente e exclamou: _ Quem é o que? De quem? Lembrei-me do verso de Vinicius: " O muito que se consegue é combinar o que já é"

_É, respondi sorrindo, isso dá samba.
E não é, que deu mesmo?
Dia 03 de outubro, quase um mês após, estava indo para o trabalho quando senti a presença de Elis. Assim que cheguei esqueci, pois comecei a resolver os problemas do dia. Após o almoço, quando pude
 sentar em minha sala, a melodia veio.
Elis disse-me que era dela e de Vinicius de Moraes. Fiquei alegre ao saber, que a parceria continua, registrei a música, que repasso a  vocês.
Como Elis havia me dito em agosto, o trabalho iria continuar. Estou feliz, pois esta é a segunda música que me envia neste intercâmbio.
A essencia da letra, evidencia a mesma Elis, embora com o potencial genuíno da dimensão da alma, identificada com o amor maior
.


      

 

 

 

Composições inéditas

inspiradas por Elis Regina a Marisa Cajado:

 

Brasil Cantando

O que é que é de quem?

* As músicas em bege ainda não estão prontas. Conforme forem sendo

formatadas, serão colocadas no ar, à disposição dos leitores e visitantes do site.

Créditos:

Midi: "Estrelita"

Arranjo: Sibélius

Imagem: Tela Marisa Cajado

Livro de Visitas

Clique na clave de sol

         

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens, dos arquivos de som, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.