A IMPORTÂNCIA DE UMA BIENAL

Marisa Cajado

Uma tarde bem quente, embora o outono, já instalado na sala do tempo, de nossa querida Ilha de Santo Amaro, onde a Pérola do Atlântico, Guarujá,  reluz sempre com grande intensidade.Parece hoje, mais iluminada pela luz da Cultura que vem enriquecê-la, através da Primeira Bienal do livro, que as Secretarias da Cultura e da Educação junto à Prefeitura Municipal promovem neste mês de Abril.
Minha alma de educadora vibra com a azáfama infantil e aqueles olhinhos atentos e interrogadores ante a novidade. Observo ouvindo, aqui ou ali, uma conversa, entre eles. Alguns interessados nas figuras, outros interessados nos presentes grátis, outros mais quietos, preocupados em ficar perto da professora para não se perder.
Meu olhar parou numa figurinha diferente.
 Parece alheio a movimentação. Mesmo no meio a pequena multidão, consegue
isolar-se. Há nele, uma entrega total ao seu objetivo .
Lembrei-me da dificuldade que algumas pessoas tem de trabalhar, ou criar, em meio a outras e o pinguinho de gente,  folheava tranquilamente, aquele livrinho de histórias coloridas.
Um garoto interessante. Pequeno, aparentando cinco a seis  anos, cabelos cortados, “à la” máquina zero, começando a crescer. Os óculos, escuros, bem maiores  que ele, talvez da mãe, lhe dão um ar de intelectual.. Atrapalhando-se  para trocar de páginas, com a sacolinha de plástico  branco pendurada no braço,  já com três livros dentro, concentra naquelas páginas toda a sua atenção.
Meditei sobre a importância daquela Bienal acontecendo em nossa cidade.
Na chegada, um grande movimento de escolares, jovens e crianças, permutando entrada e saída e a juventude Guarujaense, tomando contato com os livros , esses grandes potenciais de desenvolvimento, coloria o espaço 
Não só os stands comerciais destacavam-se.  Maravilhoso ver o Secretário da Educação e o Secretário da Cultura de nossa cidade, como ouvintes das tantas palestras abertas ao público gratuitamente.
Havia muito sentido nos debates de diversificados temas, instruindo e diluindo dúvidas sobre os problemas atuais de nosso tempo, tão tumultuado e incerto.
Autores de novelas, filmes, autores de política social, poetas e escritores, programadores, de televisão, compositores, corais, perfilaram nas diversas dependências da feira. Quanta riqueza de talentos brasileiros, reunida, tanto de autores conhecidos, como de  desconhecidos ainda, da grande mídia.
Em um dos corredores da feira, o stand dos autores de Guarujá, tão rico nos valores expressos em livros,  CDs e em quadros ali expostos.
Todos eles, constituem a plêiade dos formadores de consciência.
Como escritora, musicista, poetisa, educadora, repenso sobre a enorme responsabilidade de trazer pela palavra escrita, falada ou cantada, expressões de valores reais, contribuindo para um mundo melhor.
Aquele garotinho pequeno, ganha uma enorme proporção em meu ser, pois percebo que ele, recolhido em seu silêncio, mesmo dentro ruído ambiente, provocado pela alegria infantil, anseia pelo conteúdo do livro, seu maior interesse.
Ele é que está certo. Em meio ao barulho do mundo, preciso parar, aquietar-se e centrar-se para perceber em silêncio, o conteúdo do grande LIVRO DA VIDA , escrito em cada segundo  por toda a humanidade.


Marisa Cajado, Guarujá, 24-04-2007 – 17:33h

 

 

Direitos autorais reservados ao autor: para publicar, solicite autorização via e-mail.

 

 

Clique no envelope envie esta página para até 10 amigos:

 

 

 

Fundo Musical: "Se esta rua fosse minha "

 

Arranjo: Sibélius

 

 

Imagem: Tela Marisa Cajado

 

 

Livro de Visitas

Clique na clave de sol

 

 

©  Copyright 2002 e 2003  Marisa Cajado  -  Todos os direitos reservados*

*É expressamente proibida, por lei, a divulgação desta página em outro site ou qualquer outro modo de veiculação  sem a autorização expressa dos autores ou dos detentores de copyright do texto, das imagens,

dos arquivos de som, da formatação e dos demais elementos que compõem a página.

 

Direitos autorais protegidos pela lei 9.610/98.